Diferenças

Aqui você vê as diferenças entre duas revisões dessa página.

Link para esta página de comparações

Ambos lados da revisão anterior Revisão anterior
tecnologia:kml [2018/02/28 17:54]
heloisa
tecnologia:kml [2018/02/28 17:54] (atual)
heloisa
Linha 15: Linha 15:
  
 A interoperabilidade,​ confere agilidade, e comunicação entre diversos sistemas, temos semáforos inteligentes,​ operação de transportes de cargas, linhas de produção enxuta e sob demanda, transportes públicos, são muitos os exemplos. A interoperabilidade,​ confere agilidade, e comunicação entre diversos sistemas, temos semáforos inteligentes,​ operação de transportes de cargas, linhas de produção enxuta e sob demanda, transportes públicos, são muitos os exemplos.
-OPENDATASOFT.2017,​ também em outro artigo descreve: "as redes de sinais de trânsito adaptáveis como a de Pittsburgh são construídas com um fluxo livre de dados em tempo real entre sinais e processamento em tempo real de dados de detecção e rastreamento de veículos e pedestres. Os designers do sistema de Pittsburgh, agora disponíveis como produto (Surtrac) através da Rapid Flow Technologies , também estão trabalhando para integrar dados de sinal de trânsito em um ecossistema de dados maior que abrange dados de sensores de veículos convencionais e autônomos, superfícies rodoviárias,​ infraestruturas de estacionamento entre outros. O objetivo é criar um sistema holístico e multimodal capaz de otimizar o fluxo de veículos, ciclistas, pedestres e trânsito em um nível de grade. Sistemas de fluxo de tráfego como este não apenas produzem dados que podem e estão sendo compartilhados como dados abertos, mas integram os dados abertos existentes de fontes como rastreamento do tempo e sistemas de alerta de estradas para criar uma visão abrangente das condições de tráfego e fluxo."​+OPENDATASOFT.2017,​ também em outro artigo descreve: "as redes de sinais de trânsito adaptáveis como a de Pittsburgh são construídas com um fluxo livre de dados em tempo real entre sinais e processamento em tempo real de dados de detecção e rastreamento de veículos e pedestres. Os designers do sistema de Pittsburgh, agora disponíveis como produto (Surtrac) através da Rapid Flow Technologies , também estão trabalhando para integrar dados de sinal de trânsito em um ecossistema de dados maior que abrange dados de sensores de veículos convencionais e autônomos, superfícies rodoviárias,​ infraestruturas de estacionamento entre outros. O objetivo é criar um sistema holístico e multimodal capaz de otimizar o fluxo de veículos, ciclistas, pedestres e trânsito em um nível de grade. 
 + 
 + Sistemas de fluxo de tráfego como este não apenas produzem dados que podem e estão sendo compartilhados como dados abertos, mas integram os dados abertos existentes de fontes como rastreamento do tempo e sistemas de alerta de estradas para criar uma visão abrangente das condições de tráfego e fluxo."​
  
 Em Engenharia de Transportes,​ a utilização desta ferramenta é de suma importância,​ pode demostrar como se segue também perfeitamente a utilização do formato KML. Em Engenharia de Transportes,​ a utilização desta ferramenta é de suma importância,​ pode demostrar como se segue também perfeitamente a utilização do formato KML.
  
 KML é um formato de arquivo usado para exibir dados geográficos em um navegador da Terra, como Google Earth, Google Maps e Google Maps para celular. O KML utiliza uma estrutura de tags com elementos e atributos aninhados e se baseia no padrão XML. Todas as tags diferenciam maiúsculas e minúsculas. A referência indica as tags que são opcionais. Em determinado elemento, as tags devem aparecer na ordem mostrada na referência. O KML é um padrão internacional mantido pelo Open Geospatial Consortium. KML é um formato de arquivo usado para exibir dados geográficos em um navegador da Terra, como Google Earth, Google Maps e Google Maps para celular. O KML utiliza uma estrutura de tags com elementos e atributos aninhados e se baseia no padrão XML. Todas as tags diferenciam maiúsculas e minúsculas. A referência indica as tags que são opcionais. Em determinado elemento, as tags devem aparecer na ordem mostrada na referência. O KML é um padrão internacional mantido pelo Open Geospatial Consortium.
 +
  Da mesma forma que os arquivos HTML exibem seus arquivos na WEB o KML também pode. Para visualização desses dados na WEB é necessário que ele esteja hospedado em algum servidor da Web público. O tipo mais simples de documentos KML são aqueles que pode ser criados diretamente no Google Earth, isto é, você não precisa editar ou criar KML em um editor de texto. Marcadores, superposições de solo, caminhos e polígonos podem ser criados diretamente no Google Earth. Os marcadores que é um alfinete amarelo que marca o mapa sinalizando o local. Inclui um elemento <​Point>​ local onde se é marcado pode ser colocado um ícone e outros elementos geométricos. A tag <​Placemark>​ possui um ou mais elementos geométricos,​ elementos como: nome, descrição e posição na terra. Faz se o uso do HTML descritivo nos marcadores. Podem ser usados superposições de solos o qual coloca uma imagem/​estrutura no solo, que é controlado pela tag <​LatLonBox>​ através dessas superposições o terreno pode ser observado por vários aspectos. Os valores são dados pela latitude norte/sul e pela longitude norte/sul. Para responder uma solicitação de do Google Earth um servidor KML deve seguir determinado conjunto de regras para que possam ser interpretadas.  Da mesma forma que os arquivos HTML exibem seus arquivos na WEB o KML também pode. Para visualização desses dados na WEB é necessário que ele esteja hospedado em algum servidor da Web público. O tipo mais simples de documentos KML são aqueles que pode ser criados diretamente no Google Earth, isto é, você não precisa editar ou criar KML em um editor de texto. Marcadores, superposições de solo, caminhos e polígonos podem ser criados diretamente no Google Earth. Os marcadores que é um alfinete amarelo que marca o mapa sinalizando o local. Inclui um elemento <​Point>​ local onde se é marcado pode ser colocado um ícone e outros elementos geométricos. A tag <​Placemark>​ possui um ou mais elementos geométricos,​ elementos como: nome, descrição e posição na terra. Faz se o uso do HTML descritivo nos marcadores. Podem ser usados superposições de solos o qual coloca uma imagem/​estrutura no solo, que é controlado pela tag <​LatLonBox>​ através dessas superposições o terreno pode ser observado por vários aspectos. Os valores são dados pela latitude norte/sul e pela longitude norte/sul. Para responder uma solicitação de do Google Earth um servidor KML deve seguir determinado conjunto de regras para que possam ser interpretadas.